solenista
O meu coração não é escrito a lápis… Sou incapaz de apagar pessoas, sentimentos e vivências com a borracha da indiferença. Porém, esse mesmo coração tem uma outra vantagem, ele não tem espaço para arquivo morto… Quem souber aproveitar a estrada que ele oferece e conquistar o seu afeto tem lugar cativo … Os demais foram lições e aprendizados de capítulos encerrados. A vida é curta demais para repetir histórias e o meu coração exigente demais para conviver com pessoas rasas. Novas experiências e sentimentos profundos. É o mínimo que ele espera de mim.
Pedro Oliveira.  (via solenista)
aventurador
Já imaginei o nosso encontro tantas vezes que quase posso te ver caminhando até mim, com o cabelo bagunçado e aquele sorriso que só você tem e que me rouba completamente. Já sonhei tanto com o teu abraço que quase consigo te sentir em mim, o teu coração batendo junto ao meu, o teu cheiro na minha roupa, a tua respiração acompanhada da minha. Eu te desenho, te planejo, te conserto. Eu monto cenas e espero você chegar, só pra te ver estragar tudo e fazer do teu jeito torto que é melhor do que qualquer devaneio que eu possa ter. Então prometa que vai esperar até essa distância entre a minha e a tua boca se reduzir a apenas um suspiro. Prometa que vai me levar contigo para onde você for, mesmo que em pensamento. Prometa que vai me amar mesmo de longe e com todas essas inconstâncias. Porque eu juro que enquanto eu estiver sentindo que há uma parte minha em você, não vou desistir.
Never let me go, do you remember?    (via aventurador)
alentador
Sou forte. Meio doce e meio ácida. Em alguns dias acho que sou fraca. E boba. Preciso de um lugar onde enfiar a cara pra esconder as lágrimas. Aí penso que não sou tão forte assim e começo a olhar pra mim. Sou forte sim, mas também choro. Sou gente. Sou humana. Sou manhosa. Sou assim. Quero que as coisas aconteçam já, logo, de uma vez. Quero que meus erros não me impeçam de continuar olhando para a frente. E quero continuar errando, pois jamais serei perfeita (ainda bem!). Tampouco quero ser comum e normal. Quero ser simplesmente eu. Quero rir, sorrir e chorar. Sentir friozinho na barriga, nó no peito, tremedeira nas pernas. Sentir que as coisas funcionam e que tenho que trocar de jeito quando insisto em algo que não dá resultado. Quero aprender e, ainda assim, continuar criança. Ficar no sol e sentir o vento gelado no nariz. Quero sentir cheiro de grama cortada e café passado. Cheiro de chuva, de flor, cheiro de vida. Aprecio as coisas simples e quero continuar descomplicando o que parece complicado. Se der pra resolver, vamos lá! Se não dá, deixa pra lá. A vida não é complicada e nem difícil, tudo depende de como a gente encara e se impõe. Quero ser eu, com minha cara azeda e absurdamente açucarada. Não quero saber tudo e nem ser racional. Quero continuar mantendo o meu cérebro no lugar onde ele se encontra: meu coração. E essa é a melhor parte de mim.
Clarissa Corrêa.  (via alentador)